Ajudar uma família ou um amigo de uma vítima de homicídio

Sendo consideradas vítimas indiretas, é comum que os familiares e amigos de vítimas de homicídio não se vejam como recetores de apoio de qualquer ordem. Em alguns casos este apoio aparece no primeiro ou primeiros dias, e desvanece-se muito rapidamente, ficando estas vítimas entregues ao seu sofrimento, claramente mais duradouro. Uma das formas de apoiar pessoas que conheça nesta situação é, em primeiro lugar, reconhecer também o seu papel de vítima, sugerindo que o acompanhamento por organizações ou especialistas pode ajudar a minimizar o sofrimento e a recuperar de forma gradual as tarefas diárias.

Enquanto amigo ou familiar também pode:

  • Ajudar nas rotinas diárias, como tarefas domésticas, levar o carro a revisão, pagar contas, etc;
  • Ter atenção ao agravamento de estados de saúde crónicos, como controlo da tensão arterial, controlo dos níveis de diabetes, etc:
  • Ajudar a pessoa a ter contactos sociais e familiares por próximo;
  • Referenciar o caso aos autoridades ou bombeiros, se for um caso que necessite de atenção especial, por viver sozinha, ser idosa, etc;
  • Convencer a pessoa a receber apoio de organizações, como a APAV.

Para mais informações, contacte-no través do email This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it. ou ligando para:

  Logo 116