O Projeto Caronte

O homicídio de alguém a quem se estava ligado por laços de parentesco e/ou de afeto/relação pessoal é seguramente uma das mortes mais traumáticas. A perda pode levar a um sofrimento intenso e a alterações significativas na vida pessoal, familiar e social. A morte por homicídio é sempre uma morte violenta. Pode despertar reações negativas extremas, como o medo, a raiva, o choque, o horror. A vida, que poderá não voltar a ser a mesma, terá que adaptar-se à realidade, prosseguindo em novas perspetivas. Por isso, é preferível que cada pessoa tenha, desde logo, um apoio especializado de profissionais atentos, que saibam responder às turbulências próprias do luto com segurança, confiança, acolhimento e esperança.

Os familiares e/ou amigos da vítima de homicídio são designados, por alguns, de «vítimas ocultas», ou de «as outras vítimas», ou ainda de «co-vítimas», uma vez que, mesmo não tendo sofrido na pele o crime, sofrem os efeitos que este deixa atrás de si quando é praticado contra alguém da família, ou contra um amigo. Se a vítima morreu às mãos do homicida, estas «outras vítimas» continuam vivas, e são estas que sofrem o impacto da vitimação, provocado pelo ato que foi praticado contra o seu ente ou amigo querido.

Este site é dedicado a essas pessoas, que em muitos casos não têm o seu estatuto de vítima reconhecido pela sociedade, ou mesmo por si próprios. A APAV acredita que, com o devido apoio, a recuperação das rotinas diárias é mais facilitada, não esquecendo a situação, mas possibilitando uma recuperação psicológica e social capaz de fazer regressar familiares e amigos de vítimas de homicídio a um registo de normalidade do dia-a-dia.

 

logo

 

Com início em 2011, o Projeto CARONTE teve como objetivos:

1) Promover a partilha de saberes;
2) Criar um manual de procedimentos sobre como lidar com familiares e amigos de vítimas de homicídio;
3) Promover o desenvolvimento de competências psicossociais e jurídicas dos profissionais que lidam com familiares e amigos de vítimas de homicídio;
4) Produzir um folheto informativo para familiares e amigos de vítimas de homicídio.

O Seminário CARONTE, seminário final do Projecto, abordou três dimensões relativas a esta matéria: a voz das vítimas, compreender e lidar com as vítimas, e boas práticas. Assim, foram focados os seguintes aspetos:
a) A voz dos familiares e/ou amigos de vítimas de homicídio;
b) Relação entre a violência, criminalidade e homicídio;
c) O papel das polícias na ligação com os familiares;
d) Sobrevivência de um luto de homicídio na família;
e) A indemnização às vítimas de crimes violentos.

Foi um momento único de partilha entre profissionais e instituições, com o intuito de desenvolver uma estratégia integrada de apoio aos familiares e amigos de vítimas de homicídio.

O Projeto culmina com a criação da sub-rede de apoio a familiares e amigos de vítimas de homicídio da APAV, que trabalha em estreita colaboração com as autoridades policiais, especialmente a Polícia Judiciária, que tem competência reservada na investigação dos crimes de homicídio.