O Luto

Perante a morte de alguém com quem se mantinha um vínculo de parentesco e/ou de afeto, entra-se em processo de luto. Trata-se de uma reação natural à perda de alguém e supõe a adaptação de quem perde à nova realidade da ausência. O luto é um processo psicológico pelo qual a tristeza experimentada por uma perda significativa vai sendo dissipada, num tempo variável.

O luto exige um reajustamento ao novo contexto, no qual está aberto o espaço outrora ocupado pela pessoa que morreu. No entanto, é este reajustamento que proporciona o desenvolvimento de novas relações e a afirmação, ou reafirmação, de novos laços no futuro.

O luto não é um fenómeno estático, mas um processo que implica, como todos os processos, uma progressão no tempo. Contudo, como em todos os processos relativos à pessoa humana, o luto é um processo sempre diferente de pessoa para pessoa, implicando características únicas e ritmos diferenciados que, além da realidade interior da pessoa, obedecem às particularidades próprias da circunstância em que ocorreu a morte do ente amado e a todas as circunstâncias históricas que ocorrem em torno da perda.