banner irs2020 top

A APAV junta-se à Kaspersky para prevenir o assédio digital

Publicado .

kasperskynewlogo

A APAV e a empresa de cibersegurança Kaspersky celebraram uma parceria no âmbito da consciencialização sobre o assédio digital.

O objetivo desta parceria é prestar apoio à APAV em temas relacionados com a violação da privacidade digital e o stalkerware. Seja através da prevenção e sensibilização para o tema, da realização de estudos ou do aconselhamento técnico sobre como responder em situações de ameaça, a APAV e a Kaspersky juntam-se para combater o assédio online das vítimas, a maioria mulheres.

Afinal, o que é o stalkerware? Imagine-se a trocar mensagens no WhatsApp do seu telemóvel. A realizar pesquisas no Google. A colocar uma morada no GPS. Todos estes movimentos são feitos naturalmente sem que se aperceba que existe alguém, do outro lado, a controlar silenciosamente (e sem deixar rasto) cada passo que dá com o seu smartphone. O stalkerware consiste em aplicações de spyware que são instaladas em dispositivos móveis sem que os utilizadores autorizem ou detetem a sua presença, uma vez que os programas são executados em segundo plano.

Existem várias formas de perseguir uma vítima e o stalkerware é uma das opções para quem procura o assédio online. A análise da Kaspersky mostra que o número de utilizadores atacados cresceu cerca de 67% em todo o mundo, passando de 40.386 para 67.500 entre 2018 e 2019. Já em Portugal, o aumento foi de 97% - o número subiu de 96 para 189 vítimas, no mesmo período.

Ricardo Estrela, gestor da Linha Internet Segura da APAV, afirma que “o stalkerware merece toda a nossa atenção. Não apenas porque se trata de uma forma de cibercrime, mas também porque existe uma elevada probabilidade de estas vítimas também já terem sofrido, ou estarem em risco de sofrer, algum tipo de violência física ou psicológica por parte do seu parceiro/a. É necessário sensibilizar a população para este fenómeno para facilitar a sua identificação e forma de agir. Muitas das vítimas de stalkerware desconhecem de que forma os agressores conseguem ter acesso a tanta informação pessoal, levando a que muitas vezes não denunciem estas situações por falta de meios de prova”.

A APAV, através da Linha Internet Segura, presta apoio a vítimas de cyberstalking de forma gratuita e confidencial através do número 800 219 090 (gratuito).

Este serviço presta não só aconselhamento aos utilizadores sobre a adoção de práticas seguras no uso da Internet, como também facilita uma plataforma de denúncia de conteúdos ilegais que estejam disponíveis online. Em 2019, a Linha Internet Segura registou 7 casos de crimes relacionados com o acesso ilegítimo, 3 dos quais de stalkerware.