18 novembro | Dia Europeu para a Proteção das Crianças contra a Exploração e o Abuso Sexual

Publicado .

Assinalou-se a 18 de novembro o Dia Europeu para a Proteção das Crianças contra a Exploração e o Abuso Sexual. A data foi instituída em 2015 por decisão do Comité de Ministros do Conselho da Europa.

O Dia Europeu para a Proteção das Crianças contra a Exploração e o Abuso Sexual pretende aumentar a consciência pública sobre o tema e sobre a importância de combater estes crimes, bem como facilitar a discussão aberta sobre a proteção de crianças, contribuindo para prevenir e eliminar a estigmatização das vítimas.

Os atos de exploração e abuso sexual constituem uma grave violação dos direitos das crianças e têm efeitos nefastos na vida das vítimas. Se suspeita de uma situação de exploração ou abuso, não hesite: peça ajuda. O abuso sexual de crianças e jovens não tem de ser um segredo.

A APAV está disponível para ajudar as crianças e jovens vítimas, suas famílias e amigos/as, através da Rede CARE - apoio a crianças e jovens vítimas de violência sexual.

Desde 2016 e até maio de 2019, a Rede CARE já apoiou 881 crianças e jovens, 104 familiares e amigos/as, e realizou 10.509 atendimentos.

Fale com a APAV através do 116 006 (chamada gratuita, dias úteis, 9h - 21h). Toda a informação em apav.pt/care.

APAV nas I Jornadas da CPCJ de Sátão

Publicado .

Estudo programa I jornadas CPCJ SATAO

As I Jornadas da CPCJ de Sátão decorrem no dia 18 de novembro, no Cineteatro Municipal, com início pelas 8.30, e contarão com a presença da APAV.

A APAV estará representada nas jornadas por Inês Bastos, técnica da Rede CARE - apoio a crianças e jovens vítimas de violência sexual, que participará, às 14.00, no III Painel - Redes de Apoio, juntamente com Verónica Rodrigues (Polícia Judiciária de Coimbra) e Rui Barbosa na moderação (Comandante da GNR de Sátão e Membro da Comissão Alargada da CPCJ).

O programa completo está disponível no site da Câmara Municipal de Sátão, em www.cm-satao.pt.

Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada | 17 novembro | Évora

Publicado .

17 nov 2019

O Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada foi assinalado este ano no passado domingo, dia 17 de novembro, em Évora. A efeméride surgiu por iniciativa da Federação Europeia de Vítimas da Estrada (FEVR) no ano de 1995. O espírito deste evento é de sensibilização pública da memória dos muitos milhões de pessoas falecidas, feridas e afetadas pelos acidentes de viação em todo o mundo. Presta também homenagem às equipas de emergência, à polícia, aos médicos e outros profissionais que diariamente lidam com as consequências traumáticas da sinistralidade e criminalidade rodoviária.

A organização da celebração em Portugal tem sido assegurada desde 2004 pela Estrada Viva, em colaboração com as entidades oficiais portuguesas, e iniciou-se em 2002 pela mão da Associação de Cidadãos Auto-Mobilizados (ACA-M). A partir de 2004, tem sido assegurada pela Liga de Associações Estrada Viva que todos os anos assinala esta efeméride em Portugal, organizando a cerimónia, que passou por várias cidades do país, e a campanha nacional a ela associada. Em Évora, é realizada todos os anos desde 2004 pela mão da Associação GARE.

O tema internacional da campanha do Dia da Memória deste ano é “A vida não é uma peça de automóvel” (Life is nor a car part).

O espírito desta celebração é de que a evocação pública da memória daqueles que perderam a vida e a saúde nas estradas e ruas portuguesas significa um reconhecimento, por parte do Estado e da sociedade, da trágica dimensão da sinistralidade, e ajuda os sobreviventes a conviver com o trauma de memórias dolorosas resultantes de desastres rodoviários. A morte e lesão por desastre de viação são ocorrências repentinas, violentas e traumáticas, e o seu impacto duradouro, quase sempre permanente. A cada ano, milhões de enlutados e vítimas de todo o planeta juntam-se aos muitos milhões que já sofrem em resultado de desastres de viação. O Dia da Memória responde, assim, à intensa necessidade sentida pelas vítimas e seus entes queridos de verem a sua perda e a sua dor publicamente reconhecidas. Presta também homenagem às equipas de emergência, à polícia, aos profissionais médicos e outros que diariamente lidam com as consequências traumáticas da sinistralidade.

A APAV, enquanto organização nacional de apoio à vítima, que apoia vítimas de criminalidade rodoviária, suas famílias e amigos/as, tem vindo a participar e divulgar eventos sobre a temática da Segurança Rodoviária promovidos por várias entidades públicas e privadas (conferências, seminários, workshops e reuniões).

A APAV aproveita esta oportunidade para alertar a opinião pública para a importância de uma maior responsabilização e compromisso para a segurança rodoviária, no sentido de reduzir a vitimação no contexto rodoviário, divulgando a Folha Informativa APAV sobre Crimes Rodoviários, documento que integra informação de forma sumária e concisa, procurando responder a questões essenciais.

Folha Informativa: Crimes Rodoviários

APAV e NOVO BANCO juntos neste Natal

Publicado .

Captura de ecrã 2019 11 12 às 17.27.36

O Novo Banco junta-se à APAV numa iniciativa de Natal que pretende proporcionar uma nova história aos/às utentes acolhidos/as nas Casas de Abrigo da APAV.

A iniciativa conta com o envolvimento dos colaboradores e colaboradoras do Novo Banco, que irão angariar donativos em espécie.

Os donativos serão, posteriormente, encaminhados para cada uma das estruturas de acolhimento da APAV.

Gabinete de Apoio à Vítima de Cascais integra campanha sobre violência doméstica contra homens

Publicado .

FMCVD Cascais 2019

No dia 8 de novembro, o Fórum Municipal de Cascais contra a Violência Doméstica (FMCVD) lançou, no Cascais Shopping, uma campanha de sensibilização sobre violência doméstica contra homens. O evento pretendeu não só marcar o lançamento a campanha como também divulgar, junto da população, os contactos dos serviços locais de apoio disponíveis.

A APAV, que esteve presente no evento, integra o FMCVD através do seu Gabinete de Apoio à Vítima de Cascais, proporcionando uma resposta a estas vítimas.

O FMCVD teve início em 2003 e conta, atualmente, com cerca de quarenta membros de organizações locais. Funciona como plataforma temática, desenvolvendo uma intervenção integrada e interdisciplinar com vista a prevenir e combater a violência doméstica.