FLAD adota Salas APAV de Apoio à Vítima — I

Publicado .

No âmbito da sua política de responsabilidade social e do papel ativo que desempenha na resposta às necessidades da sociedade, a FLAD (Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento) decidiu apoiar a APAV e adotar um conjunto de salas de apoio à Vítima.  

As salas de apoio, localizadas nos vários Gabinetes de Apoio à Vítima da rede nacional APAV são o coração do serviço de informação e suporte de vítimas de vários tipos de crime e violência.         

São a porta de entrada e o local por excelência de contacto e serviço gratuito, confidencial, personalizado e direto com a vitima, seus amigos e familiares. 

 Obrigad@ FLAD!

Folhas Informativas | Terrorismo

Publicado .

Terrosrismo

Estamos a renovar a Coleção de Folhas Informativas / Fact Sheets APAV sobre os principais temas do apoio à vítima.

Hoje, e a propósito do Dia Internacional em Memória e Tributo às Vítimas de Terrorismo, apresentamos a folha informativa atualizada: Terrorismo.

As folhas estão disponíveis para consulta online aqui.

Mantenha-se informado com a APAV.

APAV e Staples unem esforços contra o Bullying

Publicado .

Campanha Staples APAV

A Staples está de volta com a campanha anual "Regresso às Aulas".

Este ano a iniciativa vai beneficiar e angariar receitas a favor da APAV.

Os donativos conseguidos irão contribuir para que os projetos, formação e campanhas de sensibilização da APAV contra a violência cheguem a mais escolas, a mais jovens e a mais famílias.

Junta-se à Staples e doe 1€ à APAV nas compras de material escolar nas lojas Staples e em Staples.pt, até 29 de setembro.

Doar e saber mais aqui: https://www.staples.pt/pt/pt/apav


Obrigad@ Staples Portugal!



APAV e SIC em parceria no projeto “Na Porta ao Lado”

Publicado .

NaPortaAoLado 1 hgu2

A APAV juntou-se à SIC e à sua plataforma de streaming OPTO no projeto “Na Porta ao Lado”, uma trilogia de filmes escritos e dirigidos por mulheres, focados no tema da violência doméstica — em diferentes classes sociais e contextos.

O primeiro filme, Esperança, está disponível desde 24 de Julho e foi escrito e realizado por Cláudia Clemente. Rita Loureiro é Helena, uma violoncelista já afastada dos palcos, casada com Mário (Miguel Guilherme), um homem mais velho e controlador — que sistematicamente a critica enquanto artista e mulher, até a deixar isolada e insegura. Até que um jornalista (Cristóvão Campos) se aproxima e irá tentar ajudá-la.

A 21 de Agosto estreou o segundo título desta série: Amor. Num contexto familiar de classe média, a pandemia vem revelar um Jorge (Marco D’Almeida) que até então a sua mulher não tinha conhecido. Marta (Cláudia Vieira) já estava habituada a trabalhar em casa, pelo que a sua rotina não foi muito alterada. Por outro lado, o seu marido viajava muito em trabalho, e não acaba por não lidar bem com o confinamento e, por consequência, com o facto de ser a sua mulher quem sustenta a casa naquela fase. É aí que o seu lado violento é revelado, primeiro em relação a Marta e depois também com o filho de 10 anos do casal. Inês (Cleia Almeida) é a vizinha que se apercebe de que algo se passa. Este filme foi escrito por Filipa Martins e realizado por Rita Nunes.

O capítulo final deste projeto será Medo, escrito por Patrícia Sequeira e Filipa Leal e realizado por Patrícia Sequeira. Conta com Lúcia Moniz, Renato Godinho e Maria João Falcão como protagonistas e deverá estar disponível na plataforma OPTO em breve.

Esta série teve o apoio financeiro do ICA (Instituto do Cinema e Audiovisual) e foi produzida pela Santa Rita Filmes, em parceria com a SIC.

FLAD adota Salas APAV de Apoio à Vítima — II

Publicado .

 

No âmbito da sua política de responsabilidade social e do papel ativo que desempenha na resposta às necessidades da sociedade, a FLAD (Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento) decidiu apoiar a APAV e adotar um conjunto de salas de apoio à Vítima. 

“Eu vou contar isto a alguém pela primeira vez na minha vida.”

Muitas das salas de apoio à vítima da rede de apoio APAV já ouviram esta frase.

Estes espaços são o coração do trabalho da Associação, onde se inicia, na maior parte das vezes, o primeiro passo na quebra do ciclo de violência a que as vítimas estão sujeitas.

Obrigada @FLAD!