Identificar sinais
de abuso sexual de criancas online

Tal como os adultos, as crianças podem sempre estar sujeitas a embustes e erros. Mas a algumas crianças faltam-lhes competências para o uso seguro das tecnologias e para lidar com problemas ocorridos em linha, aumentando a sua exposição ao risco. Exemplos disto mesmo podem ser encontrados todos os dias nos meios de comunicação mundiais. Os casos de processos crime contra pessoas que cometeram coerção e extorsão sexual através da internet são reais. Os criminosos contactam adolescentes através das redes sociais ou de salas de conversação online, nas quais ou fingem ter a mesma idade que a vítima ou utilizam perfis atrativos. Ganham então a confiança da vítima e a persuadem-na a partilhar detalhes pessoais e fotos privadas e sensíveis. Ao obter a informação pretendida, começam a chantagear as crianças para obter mais conteúdo do mesmo cariz em troca de nao publicarem as imagens primeiramente partilhadas.

Outro exemplo comum é o de crianças que voluntariamente partilham as suas fotos ou vídeos privados feitos com os seus parceiros ou pessoas de quem gostam utilizando os seus telemóveis (sexting). Quando o/a parceiro/a termina a relação ou entra em qualquer tipo de conflito, podem sentir-se tentados a utilizar o conteúdo partilhado como forma de vingança. Estas imagens podem assim acabar publicadas na internet ou mesmo ser utilizadas por websites ou comunidades online de conteudo de abuso sexual de criancas.

Estes exemplos mostram como qualquer criança pode tornar-se vítima de crime. Não deve nunca dar como garantido que uma situação deste tipo nao ocorrera com os seus filhos. Por isso é essencial que esteja sensibilizado/a para os sinais que podem levantar as suas suspeitas de que algo nao está bem.

A partir do momento em que os seus filhos têm acesso a produtos eletronicos (sejam computadores, tablets ou telemóveis) deve ter em conta aspetos de segurança na utilização de internet. Poderá ficar preocupado/a que pessoas mal intencionadas entrem em contatos com eles. Por isso é fundamental que as crianças  e adolescentes sejam educadas para a utilização de meios digitais, como forma de prevenir que se tornem vulneráveis à criminalidade na internet. Ha sempre um certo grau de risco de exposicao a conteudo ilicito, por isso e importante que lhes ensine as ferramentas necessarias para elas proprias se defenderem, e tambem que fique atento/a a sinais de abuso sexual online.  

O abuso sexual de criancas online é um tema sensivel por ser dificil imaginar que pode afetar tambem a sua familia. Contudo, ignorar o problema não é solução, apenas aumenta o risco de exposição aos perigos em linha e as suas consequências nocivas. As crianças precisam de saber o que e e que estrategias enganadoras podem ser utilizadas para as iludir online. O problema não é apenas o grooming, no qual o agressor estabelece contacto online com a criança ganhando a sua confiança para obter da sua parte conteúdo de cariz sexual; ou casos em que um adulto do seu ambiente real abusa dela. Existem também casos de uso inapropriado da sua imagem, como a publicação de imagens privadas partilhadas anteriormente através de sexting; ou quando imagens quotidianas são colocadas num contexto sexualizante.

Sinais
de alerta

Mudanças repentinas no comportamento das crianças são sinais comuns de que algo está errado. Em alguns casos isto está ligado ao uso da tecnologia. Não se esqueça disso ao falar com elas. Observe o seu comportamento e preste especial atenção a:

  • Mudanças de atitude na forma como utilizam as tecnologias. As crianças podem começar a passar mais tempo do que o habitual na internet ou, pelo contrário, podem começar a evitar o uso de redes sociais e outros espaços online. Elas podem também começar a conectar-se em horários diferentes daqueles que eram usuais, alterando os seus habitos.
  • Súbita necessidade de mais privacidade na utilização de aparelhos. Podem ir para outro quarto para receber uma chamada ou responder a uma mensagem, ficar nervosas quando olham para os seus telemóveis e outros aparelhos, ficar ansiosas ou violentas se alguém tenta ver o seu telemóvel.
  • Distúrbios comportamentais ou de sono. A angústia ou medo causados pela situação de abuso pode levar a insónias e mesmo pesadelos.
  • Fraco desempenho escolar. Cansaço e stress podem causar falta de concentração e de atenção na escola. Poderão as notas baixar e poderão cometer mais erros do que o normal ao fazer os trabalhos de casa ou participar menos durante as aulas.
  • Isolamento social e alterações de hábitos de socialização. Poderá notar que já não tem contacto com os seus amigos ou que repentinamente o seu grupo de amigos.

Sentem-se em baixo, tristes e choram mais frequentemente. A gravidade do problema pode causar sentimentos de culpa e vergonha, bem como a redução da auto-estima e outras alterações de comportamento.

Controle
a situacao

Se desconfia que os seus filhos possam estar a sofrer uma situação de abuso, deve reagir. O mais importante é que a criança se sinta apoiada, deixe-a falar sobre o que sente e ouça de forma calma o que ela tem a contar sobre a sua experiência. Este é um problema grave, por isso deve procurar aconselhamento junto a profissionais, mais o seu papel não é menos importante:

  • É fulcral falar com a criança de forma calma. Deve apoiá-la, mostrar que consegue controlar as suas próprias emoções, compreender o que ela lhe diz e fazê-la sentir a segurança de que necessita para confiar em si e contar-lhe o que realmente se passou. Assegure-lhe que, se prefere falar com outra pessoa, poderá fazê-lo sem qualquer problema e ajudá-la a procurar essa ajuda.
  • É importante que ouça a versão dela, sem julgar, fazendo o seu melhor para que ela se sinta confortável. É importante que nao a interrompa, e que lhe dê tempo para expressar-se porque a situação que ela viveu é complexa e dolorosa. Sublinhe como o que aconteceu não é culpa dela, que na realidade essa situação é um crime.
  • Avalie os riscos. Descubra o que aconteceu: se a criança partilhou alguma coisa online, com quem o partilhou, se sofreu algum abuso físico, o que a preocupa e quão grave é a situação.
  • Peça à criança que faça screenshots das conversas, mas nao deixe de respeitar a sua privacidade. É importante preservar meios de prova, imagens e vídeos que permitam iniciar ação penal contra o agressor, mas atue de forma cautelosa. Não deixe que mais ninguém tenha acesso ao conteúdo.
  • Deve consultar um/a serviço de informação profissional, por exemplo a linha internet segura presente no seu pais, peca apoio psicológico e denuncie o crime a polícia. Se o fizer, terá apoio de profissionais especializados que a/o podem ajudar nos passos e procedimentos a seguir. Para lidar com este fenômeno é necessário muito cuidado e atenção e a criança deve receber o máximo de proteção possível para minimizar o impacto da situação no seu bem-estar.

Descobrir que a/o sua/seu filha/o foi vitima de possivel abuso sexual pode ser muito doloroso. Você poderá sentir-se envergonhada/o, culpada/o ou zangada/o e pensar que nao protegeu a/o sua/seu filha/o suficientemente. Lembre-se que, pelo bem da/o sua/seu filha/o, é importante que você aprenda a gerir os seus sentimentos de culpa.

O que importa é agir rapidamente, dado que o tempo é um factor essencial neste tipo de crime. Em quase todos os casos de situações de perigo ou danosas que ocorrem na internet, a sensibilização e a prevenção são as melhores ferramentas para ajudar tanto as crianças como as suas famílias.


UE flagOs conteúdos deste website foram criados pela APAV com o apoio financeiro do Fundo de Segurança Interna - Polícia da União Europeia. Os conteúdos refletem o ponto de vista da APAV, não podendo aquela entidade ser responsabilizada por qualquer utilização que possa ser feita da informação aqui contida.