Sobre a Conferência

A Conferência ROAR: Desafios no apoio às vítimas de cibercrime terá lugar no dia 3 de novembro de 2020 no edifico sede da Altice Portugal, em Lisboa, e consiste no evento final do Projeto ROAR: Empoderamento das vítimas de cibercrime.

Neste evento, a APAV - Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, e os seu parceiros visam não só apresentar os resultados e produtos do Projeto ROAR, mas também criar um espaço para a partilha de conhecimentos e troca de boas práticas. Por fim, a Conferência propõe-se ainda a avançar recomendações sobre como melhor atuar na prevenção da cibercriminalidade e no apoio prestado às vítimas destes crimes.

A Conferência irá reunir organizações da sociedade civil, academia, indústria, média, forças de segurança, autoridades judiciárias e decisores políticos de toda a Europa, constituindo uma oportunidade única para estreitar sinergias e debater estratégias multidisciplinares de prevenção e combate à cibercriminalidade, discutindo ameaças atuais e futuras, desafios na investigação destes crimes e no apoio a vítimas.

O programa da Conferência é diversificado não apenas no que concerne à nacionalidade e experiência do(a)s oradore(a)s, mas também no tipo de sessões que prevê. Na Conferência, além das sessões plenárias nas quais oradore(a)s com experiência reconhecida irão partilhar o seu conhecimento em diversas matérias ligadas à cibercriminalidade, o(a)s participantes terão ainda a oportunidade de se inscrever em diferentes workshops em que se discutirão relevantes tópicos da atualidade do mundo digital, como burlas online e cyberstalking no contexto das relações de intimidade, entre outros, assim como medidas de prevenção e mitigação através de uma abordagem multidisciplinar.

O alcance dos tópicos integrados no tema principal da Conferência e a diversidade de formatos das sessões procura incentivar a participação ativa daquele(a)s que participam na Conferência, enquanto a partilha e a produção de conhecimento serão em si mesmas um resultado positivo do Projeto.

Para organizar esta Conferência, a APAV lança mão da sua experiência enquanto organização que realiza eventos semelhantes há quase 30 anos, mas também nas ideias e sugestões dos seus parceiros do Projeto ROAR. Pode conhecer melhor o projeto e a parceria envolvida aqui.

Se deseja participar na Conferência ROAR: Desafios no apoio às vítimas de cibercrime, por favor inscreva-se aqui.

Caso tenha alguma questão sobre a Conferência ou se experienciar alguma dificuldade técnica no momento da inscrição, por favor entre em contacto connosco através de Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

O espaço

A Conferência ROAR: Desafios no apoio às vítimas de cibercrime terá lugar no Auditório 2 do edifíco sede da Altice Portugal.

Edifício Sede Altice Portugal

Morada: Av. Fontes Pereira de Melo 40, 4000-000 Lisboa

Contacto: +351 21 500 2000

Website: telecom.pt

Sobre o projeto

Contexto

Mais de 50% da população mundial tem, nos dias de hoje, acesso à internet e o número cresce, diariamente, em cerca de um milhão de pessoas. Num mundo cada vez mais globalizado e “online”, os riscos de vitimação exponenciam-se. Estima-se, por isso, que pelo menos, um milhão de pessoas é, diariamente, vítima de cibercriminalidade, embora muitos ataques passem despercebidos.

A cibercriminalidade tem-se alastrado a todas as áreas do crime. Hoje em dia, os ataques são dirigidos não só contra pessoas e o património, mas também contra Estados, abalando estruturas críticas, a economia e fundamentalmente a segurança e coesão de toda a malha social.

Tendo em conta a expressão do fenómeno e a sua complexa e acelerada evolução, é premente uma resposta concertada de todas as partes interessadas, unindo esforços e competências de Estados, indústria, academia, média, órgãos de polícia criminal, autoridades judiciárias e sociedade civil no combate ao cibercrime, apostando na prevenção e mitigação dos seus efeitos, garantindo investigações criminais eficazes e prestação de apoio especializado às vítimas.

Foi neste contexto que nasceu o Projeto ROAR: Empoderamento das vítimas de cibercrime, cujo objetivo central assentou na promoção da denúncia e no aperfeiçoamento do apoio e proteção prestados às vítimas de cibercriminalidade. Para tal, o projeto procurou melhorar o entendimento do fenómeno e estimular a cooperação entre as várias partes interessadas, de modo a promover investigações sensíveis às vítimas e estabelecer serviços especializados de apoio às vítimas de cibercrime. Por fim, o projeto dedicou-se à investigação de medidas de prevenção à vitimação, envolvendo sensibilização sobre cibercriminalidade perante o público, profissionais e decisores políticos.

O projeto

ROAR: Empoderamento das vítimas de cibercrime, é um projeto de dois anos cofinanciado pelo Fundo para a Segurança Interna - Polícia da União Europeia e coordenado pela Associação Portuguesa de Apoio à Vítima – APAV, em parceria com a Procuradoria-Geral da República (PGR), a Guarda Nacional Republicana (GNR), a Altice Portugal, a Equality and Human Rights Action Centre Romania (ACTEDO) e a Weisser Ring Germany.

Os objetivos específicos do projeto são:

  • Promover a prevenção e denúncia de cibercriminalidade, bem como a proteção e o acesso das vítimas de crime a serviços de apoio especializados;
  • Contribuir para um entendimento e compreensão alargada do fenómeno da cibercriminalidade;
  • Promover o reforço da cooperação intersectorial entre os serviços de apoio à vítima, as forças de segurança, as autoridades judiciárias, empresas de tecnologias de informação e decisores políticos;
  • Definir procedimentos e boas práticas na resposta às necessidades das vítimas de cibercrime, particularmente de cibercriminalidade sexual;
  • Sensibilizar o público em geral para os riscos do ciberespaço e para cibercriminalidade, bem como disponibilizar informação para a adoção estratégias de proteção e segurança na utilização das tecnologias de informação e redes sociais;
  • Formar profissionais para um apoio especializado a vítimas de cibercrime;
  • Criar e implementar uma Rede Piloto de Apoio Especializado a Vítimas de Cibercrime, com particular foco na cibercriminalidade sexual contra crianças e jovens.

As atividades do projeto

As principais atividades do projeto ROAR incluem:

  1. Organização e participação das várias partes interessadas em reuniões sobre cibercriminalidade com troca de competências e experiências;
  2. Realização de visitas técnicas transfronteiriças, de modo a conhecer e importar boas práticas;
  3. Produção de um Manual de Procedimentos para divulgação de boas práticas;
  4. Produção de um Manual de Formação para formação especializada de técnicos de apoio à vítima;
  5. Produção de um Policy Paper que identifica dificuldades na investigação criminal e apoio a vítimas de cibercrime e avança recomendações;
  6. Realização de workshops temáticos dirigidos às forças de segurança e autoridades judiciárias;
  7. Realização de workshops temáticos dirigidos às crianças e jovens;
  8. Disseminação de campanha de sensibilização;
  9. Conferência Final