Campanha Solidaritee: Tshirts originais

Publicado .

A Teelok associa-se à APAV para a campanha Solidaritee, através de venda de tshirts originais. A tshirt tem a mensagem "Amar não é magoar" e está disponível pelo valor de 11€. Revertem 3€ por cada tshirt ou sweat vendida para a APAV.

"As campanhas Solidaritee têm por propósito dar a oportunidade a todos os participantes de usufruir de tshirts de qualidade a um preço baixo ao mesmo tempo que apoiam uma associação de beneficência de reconhecido mérito. Utilizando o princípio da união faz a força, contamos com todos os nossos amigos, apoiantes e amantes de tshirts em geral para que todos possam apoiar grandes causas."

Esta campanha decorre até ao dia 20 de Dezembro.

Para mais informações: http://teelook.pt/cms.php?id_cms=15

Reservas: http://www.teelook.pt/apav.html

APAV presente no Seminário "Qualidade e boas práticas - formação-ação PME: uma aposta ganha!"

Publicado .

No dia 16 de Janeiro de 2013 a APAV, enquanto Entidade Formadora, esteve presente no Seminário "Qualidade e boas práticas - formação-ação PME: uma aposta ganha!", promovido pela Comissão Setorial para a Educação e Formação e pelo Instituto Português da Qualidade.

Este Seminário teve como principal objetivo a apresentação de instrumentos de apoio público à disposição das PME que impulsionam a sua melhoria e a sua competitividade, reconhecendo o contributo da formação nestes processos, bem como a partilha boas práticas de algumas PME enquanto entidades beneficiárias.

APAV presente no Seminário European Manual on Risk Assessment and Management

Publicado .

No dia 14 de Janeiro a APAV, enquanto Entidade Parceira do Projeto E-Maria, esteve presente no seminário de lançamento do "European Manual on Risk Assessment and Management", promovido pela AMCV - Associação de Mulheres Contra a Violência.

Este seminário teve como principal objetivo apresentar e debater os resultados do trabalho realizado, quer a nível nacional quer a nível europeu, sendo o Manual o produto mais emblemático que pretende ser um contributo, a nível europeu, para a proteção e segurança de mulheres e crianças vítimas de violência doméstica.

APAV satisfeita com apoio mensal a vítimas

Publicado .

Ajuda financeira já está prevista na lei mas ainda é exceção. Procuradores querem generalizá-la. Associação Portuguesa de Apoio à Vítima saúda a iniciativa

"A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) saudou hoje a intenção do Ministério Público de requerer a concessão de uma prestação mensal a todos os queixosos de violência doméstica que tenham remunerações abaixo do salário mínimo nacional.

A notícia, avançada hoje na edição do DN, refere uma circular interna da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL) onde se pede aos procuradores que solicitem este apoio já previsto na lei, mas ainda aplicado de forma excecional.

A atribuição da prestação mensal a vítimas de violência com remunerações abaixo do salário mínimo, e logo que a queixa é apresentada, deve ser passar a "ser a regra e não a exceção", lê-se no documento a que o DN teve acesso.

Em declarações à agência Lusa Frederico Marques, membro da APAV, saudou a iniciativa do Ministério Público, mas considerou que este já deveria ter tido um papel mais ativo.

O jurista da APAV esclareceu que esta prestação social já existe há muito tempo, mas o MP raramente a aplica porque "nunca houve vontade política" e porque implica custos muito elevados para o Estado. "É normal e expectável que uma pessoa que foi vítima de um crime e que tenha sofrido algum tipo de prejuízo material e não material seja compensado, indemnizado e que esta seja paga pelo agressor.

Isto é a regra e o que está previsto no processo penal, mas a maior parte dos casos as vítimas não pedem compensação e as que pedem nunca veem a cor do dinheiro porque o infrator não o tem ou não tem património", disse."

Fonte: Diário de Notícias

Pelo fim da violência contra as mulheres | "@ Menin@ Dança?" | 14 de Fevereiro

Publicado .

Ana Gomes, Deputadas da AR e várias ONGs dançam pelo fim da violência contra as mulheres

Por iniciativa da eurodeputada socialista Ana Gomes, o evento "@ menin@ dança?" vai juntar Deputadas à Assembleia da República, organizações não-governamentais e outras personalidades, esta quinta-feira, 14 de Fevereiro, para dançar pelo fim da violência contra as mulheres.

A iniciativa, integrada na campanha mundial levada a cabo pela organização VDay, que pretende juntar mil milhões de pessoas pelo mundo inteiro a dançar para exigir o fim das violações, da mutilação genital feminina, do tráfico de mulheres, do incesto, do assédio sexual e de todas as formas de violência contra as mulheres, decorre a partir das 17h30 no Largo Camões em Lisboa e consiste na apresentação de uma coreografia, que será conduzida pelo bailarino e coreógrafo Marco di Camilis.

Associaram-se à campanha as ONGs portuguesas Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, a Associação Portuguesa de Mulheres Juristas, a ILGA - Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero, a Amnistia Internacional, a UMAR - União de Mulheres Alternativa e Resposta e a Companhia do Chapitô, entre outras.

O evento "@ menin@ dança?" é público e todas as pessoas que se queiram manifestar e dançar pelo fim da violência contra as mulheres poderão juntar-se. Bastará estar no Largo Camões na quinta-feira, dia 14 de Fevereiro, pelas 17h30.

onebillionrising.orgwww.vday.org | Facebook